Search

Entrevista exclusiva - Pop Javali


Pop Javali lança Live in Amsterdam no Santa Sede, em São Paulo !

Confira entrevista exclusiva para a Radio Web Stay Rock Brazil

Por Carla Maio

Muita expectativa e animação na última quinta-feira (29/9) durante o lançamento oficial do novo álbum do Pop Javali, Live in Amsterdam, no Santa Sede Rock Bar. Com apoio da Stay Rock Brazil, o evento reuniu amigos e músicos memoráveis, que compareceram em peso para prestigiar a banda em mais essa empreitada.

O baixista e vocalista Marcelo Frizzo, o guitarrista Jaéder Menossi e o baterista Loks Rasmussen se esbaldaram em alto astral e trouxeram para o público um pouco da energia que vivenciaram durante a turnê pela Europa, em outubro do ano passado, e que resultou, brilhantemente, no trabalho apresentado em Live in Amsterdam.

Composto por oito faixas, o álbum apresenta versões mais contundentes e rasgadas de músicas já consagradas pela banda, como “Road to nowhere”, “Lie to me” e “Time Allowed”, que apesar da pegada mais rápida, mantêm a identidade sonora característica da banda e que tanto agrada aos fãs.

O show no Santa Sede contou ainda com palhinhas especiais dos guitarristas Kim Kehl e Luiz Carlini, numa jam cheia de improvisos e levadas de blues para ficar na memória de quem curte boa música.

E os caras do Pop Javali não param. Depois da turnê europeia, Marcelo, Jaéder e Loks já estão de volta ao estúdio dos irmãos Busic, com novas ideias e composições. Mas quem conta essa história são eles, em entrevista exclusiva para a Stay Rock Brazil, confira:

Stay Rock Brazil: Vocês levaram para a turnê na Europa um repertório de músicas já consolidadas nos trabalhos anteriores. Como foi essa experiência para a banda?

Marcelo: Assim que mandamos o material para lá, agradamos logo de primeira, eles gostaram muito e foi isso que viabilizou shows em várias cidades de países diferentes. Montamos um roteiro que se encaixou dentro dos 15 dias de turnê, com 9 shows, em torno de 2 a 3 shows por semana.

Percebemos que eles gostam muito das bandas brasileiras, nos valorizam muito, nossa cena é muito respeitada por lá. Quando chegávamos para tocar em alguns lugares, e junto com a gente havia mais 2, 3, às vezes 8 bandas, éramos nós a banda gringa da noite, e foi isso que despertou a atenção deles. Isso também graças a trabalhos de bandas como o Sepultura, que foram os pioneiros e abriram muitas portas. Então, quando sabem que é uma banda de rock brasileira, eles se interessam, pesquisam e foi o que aconteceu conosco, eles nos escutaram, viram vídeos das nossas músicas na internet e acharam muito legal, gostaram da sonoridade, e fizeram contatos com a gente.

SRB: Como vocês avaliam a receptividade do público europeu?

Jaéder: Nunca imaginávamos chegar a tocar em festivais grandes como os que são realizados na Europa, como o Sneker Metal Meeting, na Holanda, e o Razorblade, na Alemanha. O público interage muito com as bandas e, para nós, isso foi surpreendente, a troca de informações foi sensacional. Antes do show, conversávamos com uma galera e os caras demonstravam interesse em nossos equipamentos e nas nossas músicas, mostrando que se acercaram de informações sobre a banda. Eles realmente queriam saber quem éramos, uma cultura bem diferente da nossa. Conhecemos um monte de gente legal e, a partir do momento em que se tornam amigos, fazem de tudo para agradar e com isso deixamos muitas portas abertas para voltar, principalmente na Holanda, Alemanha e Inglaterra.

Para a nossa trajetória, a turnê foi sem igual. Essa experiência de nos colocar dentro do contexto do que estava rolando por lá permitiu que a gente pudesse se enxergar de fora para dentro e perceber que estamos na pegada certa.

SRB: E qual é essa pegada?

Loks: A experiência em meio a bandas de thrash metal foi muito boa, cada banda é única, tem suas particularidades, mas o som do Pop Javali tem algumas características em sua sonoridade que nos diferenciou por completo da maioria das bandas dos festivais. Musicalmente, a diferença entre as bandas participantes era muito pequena e foi isso que chamou a atenção do público para nós. Então, tocar com bandas que têm trabalhos muito bons, a troca de informações e materiais nos fez absorver e somar conteúdos para o nosso próprio material.

Marcelo: Vários sites especializados da Alemanha e da Holanda apontaram o Pop Javali como banda de destaque e que surpreendeu em todos os festivais, e isso se deve ao trabalho autoral que fazemos, bem diferente das outras bandas participantes.

SRB: A turnê europeia do Pop Javali resultou no lançamento de Live in Amsterdam, gravado no The Waterhole. Qual foi o melhor show de toda a turnê?

Loks: Sem dúvida, o show de Amsterdã, o último da turnê, onde tinha mais galera. O bar onde fizemos o show tinha um espaço como esse do Santa Sede, mas com um palco grande. Não era necessário pagar ingresso, as pessoas entravam e saiam o tempo todo, e se curtiam a banda, ficavam por ali, Então, nesse rodízio, conseguimos juntar uma galera, que curtiu muito o som do Pop Javali.

Marcelo: De todas as cidades por onde passamos, Amsterdã é a mais louca e agitada. Outro show bacana aconteceu na cidade de Sneek, também na Holanda, uma cidade bem pequena onde aconteceu um festival grande, com 8 bandas de metal mais extremo, com músicos feras, e também por causa disso, fizemos a diferença com um som mais suave, e a galera gostou muito também.

SRB: Vocês sabiam que o show de Amsterdã resultaria no lançamento de um álbum ao vivo?

Marcelo: Tínhamos a intenção de registrar alguns shows da turnê e gravamos dois shows inteiros: um durante o Festival Razorblade, que acontece na região de Oer Erkenschwick, na Alemanha, um festival bem tradicional, e o outro durante o show em Amsterdã.

Jaéder: Voltamos extasiados da viagem. Na verdade, esse trabalho não tinha a pretensão de virar um CD, porém quando a gente ouviu esse material, percebemos a qualidade da execução.

Marcelo: Nos deparamos com equipamentos de última geração, que a gente nem sabia que existia, e ótimos engenheiros de som. Trouxemos o material e entregamos para o Andria (Busic), que avaliou que o show de Amsterdã estava realmente muito mais legal, com uma captação melhor. Quando ouvimos, ficamos surpresos e certos de que dava para fazer um baita de um CD. Não são todas as bandas que têm a oportunidade de fazer um disco ao vivo, ainda mais fora do país.

SRB: Mesmo sendo caras maduros (risos), podemos dizer que tudo isso serviu ainda mais para o amadurecimento de vocês?

Jaéder: Quando ouvimos o disco depois de pronto, percebemos que as músicas ficaram com uma pegada mais pesada, mais metal, elas acabaram ficando mais rápidas, o vocal mais agressivo. E foi o fato de nos ouvir ao vivo que impactou em composições mais agressivas, um trabalho que mescla o Hard Rock que já fazíamos com o Heavy Metal de um jeito agradável.

SRB: O que os fãs do Pop Javali vão escutar no novo disco?

Marcelo: O disco ao vivo traduz o que sentimos durante a turnê. Ao ouvir, as pessoas vão conseguir ter a sensação de quem estava lá, inclusive a nossa, a energia da galera, e é esse o presente dessa experiência que conseguimos dividir com os amigos, todo o sucesso que foi a turnê do Pop Javali e que vai perpetuar, inclusive lá fora.

SRB: Sabemos que vocês já estão de volta ao estúdio dos irmãos Busic. O que vem por aí?

Marcelo: Temos a previsão de fazer um lançamento já em fevereiro de um novo álbum de estúdio com músicas inéditas.

Loks: Uma parte do que vem por ai é uma resposta inconsciente do que vimos durante a turnê. O próximo trabalho promete ser bem mais pesado do que os anteriores, principalmente pela absorção que tivemos de tudo o que anda rolando mundo afora, soubemos captar isso. Claro, não vamos abandonar nossas preferências contemporâneas, mas tudo isso vem com outra cara, com novas influências e novas informações.

Carla Maio é jornalista , colaboradora da Radio Web Stay Rock Brazil ,responsavel pela matéria e entrevista.


SIGA A STAY ROCK BRAZIL:

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca ícone do YouTube
  • White Flickr Icon
  • White Google+ Icon

© Todos os direitos reservados a Rádio Web Stay Rock Brazil