Search

Collab: homenagem ao Death reúne Antonio Araújo, Bruno Sutter, Bobby Koelble e Wagner Campos


Os músicos Antonio Araújo (guitarra, Korzus, Lockdown e Matanza Ritual), Bruno Sutter (baixo e vocal) e Wagner Campos (bateria, ex-Decomposed God, Invisible Control) se uniram uma collab da quarentena em homenagem ao Death. A faixa-título do icônico álbum "Symbolic" foi executada pelos músicos brasileiros ao lado do guitarrista Bobby Koelble (Death, Death DTA), que gravou o sexto disco de estúdio do Death, lançado em 1995. Na época de "Symbolic", a formação trazia, além de Koelble, o saudoso Chuck Schuldiner (vocal e guitarra), Kelly Conlon (baixo) e Gene Hoglan (bateria).


Veja o vídeo da collab de "Symbolic", editado por Diego DoUrden (Dark Side Studios), em https://youtu.be/7v33yQi67rM

Criador do Death Tribute, banda que prestava tributo à obra de Chuck Schuldiner, Bruno Sutter não esconde a emoção: "Foi muito emocionante pra mim participar de uma produção como essa com o próprio integrante que tocou o disco. Estou muito feliz por isso, pois quem me conhece sabe o quanto o Death e o legado de Chuck Schuldiner são importantes para minha educação musical".


Já o guitarrista Antonio Araújo conta que "depois do lançamento oficial do EP do Lockdown, projeto de death metal ao lado de João Gordo (R.D.P.), Rafael Yamada (baixo, Claustrofobia e ex-Project 46) e o baterista Bruno Santin (Endrah), fazer essa collab de 'Symbolic' foi um prazer enorme." Além de o Death ser de extrema importância em sua vida musical, o guitarrista enfatiza que tocar com grandes músicos e amigos foi incrível. "Wagner Campos já tocou comigo no Chaosphere, de Recife (PE), e o considero um dos melhores bateristas do Nordeste. Bruno Sutter, por sua vez, criou o Death Tribute, em que homenageava a obra de Chuck Schuldiner e era fenomenal ao vivo", conclui.

Imprensa - ASE Music:asepress.com.br/music | music@asepress.com.br