Search

DELLAZ FEST - Lu Vitti : sempre acompanhada de uma pegada pesada

Updated: Apr 15

Por: Carla Maio


A cantora Lu Vitti também compõe o lineup do DELLAZ FEST, Festival de Mulheres no Rock, que acontece no dia 7 de março, a partir das 14h, no Estúdio Espaço Som, que fica na Rua Teodoro Sampaio, nº 462. O evento tem produção da Radio Web Stay Rock Brazil e conta com shows das bandas Power Blues, Fábrica de Animais, Harppia, Soul Brazuka, Ex Machina, Confraria Fusa e Eletric Band.


No estúdio gravando, nos ensaios para os shows ou nos espetáculos ao vivo, Lu Vitti aproveita o que cada um tem a oferecer e se encanta ao ver a materialização de sua música, desde a hora de colocar mais técnica para trazer toda a força para a gravação ao momento de conhecer o "time" do outro para sintonizar melhor o play. Contudo, é ao vivo que a cantora alcança o seu melhor, onde ela alça voo. O ao vivo é sangue e alma se misturando com tudo que envolve aquele momento.


“Lu Vitti veio depois de Lu Vitaliano e Luciane, meu nome. Sou de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, mas passei 10 anos da minha vida no norte do país, em Marabá , no Pará. Minha família, por parte de mãe são muito musicais, sendo meu avô o grande responsável por nossa musicalidade, junto com minha avó que canta tanto quanto meu ele, e sabem tudo sobre a música popular brasileira, chorinhos e serestas e sambas antigos. Assim, desde muito pequena cantávamos aos finais de semana e sempre que estávamos juntos, e até mesmo na faxina de casa com minha mãe, pois assim o chato de limpar se tornava o momento de se refazer cantando enquanto dividíamos as tarefas da rotina.


Atuei em dois espetáculos no Sesc de Ribeirão antes de me mudar para Sampa, que vim com dinheiro de rifa e de uma apresentação que fiz com umas amigas para que durasse uns três meses em Sampa, mas durou apenas um. Trabalhei como garçonete do Café Piu Piu em janeiro de 2001. Lá, conheci a thurma toda do rock e logo estava dando canja enquanto eu trabalhava como garçonete lá. Quando entrei no Teatro Oficina, abandonei o Café Pipi Piu e começou uma longa jornada de espetáculos onde eu sempre cantava. Em 2004 ,eu já estava com banda tocando na Augusta, no Bixiga, em Pinheiros... e nas festa... Em 2009, entrei numa onda bem Blues por conta do Marião ( Mário Bortoloto ) e do Brum ( Fábio Brum). Então comecei a cantar Blues, e abriu muito minha cabeça e ouvidos... Quando eu estava grávida , em 2011, comecei a ouvir muito jazz, e foi quando comecei a cantar com o Bocato e o Rubem Farias, e entrei numa mistura de jazz, blues e rock, e foi onde me encontrei. Os caras do Jazz falam que sou roqueira e eu amo a soma que fazemos juntos. Sempre acompanhada de uma pegada pesada".

SIGA A STAY ROCK BRAZIL:

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca ícone do YouTube
  • White Flickr Icon
  • White Google+ Icon

© Todos os direitos reservados a Rádio Web Stay Rock Brazil