Search

História dos amplificadores signature da Marshall- parte1



O que Slash, Zakk Wylde, Kerry King, Jimi Hendrix, Randy Rhoads, Lemmy, Paul Weller, Yngwie Malmsteen, Dave Mustaine e Joe Satriani têm em comum? Todos eles usam amplificadores Marshall, e sim, todos eles têm um estilo característico ... mas mais do que isso, cada um tem seu próprio amplificador Marshall Signature.


Mas o que torna um amplificador Signature diferente do original? Bem, Joe Satriani diz "Eles são específicos, fazem algo diferente e quando você conecta um você fica realmente inspirado". Com isso em mente, examinamos os arquivos para ver mais de perto o que torna cada um dos modelos exclusivos se destacam e como cada um deles surgiu.


SLASH - 2555SL



“QUANDO JIM OFERECEU MEU PRÓPRIO MODELO DE ASSINATURA PARA MIM, EU FUI, OBVIAMENTE, MUITO SURPREENDIDo. É UMA DAS COISAS MAIS BACANAS QUE JÁ ACONTECEU COMIGO. ”

Slash, 1996


O primeiro amplificador a apresentar uma assinatura na frente diferente de Jim Marshall, o 2555SL, foi revelado em janeiro de 1996. Esta nova iteração foi baseada no 2555 Silver Jubilee que já era sinônimo de Slash devido aos anos sendo seu amp de escolha, mas como isso aconteceu?


Bem, se você voltar 12 meses antes, Slash estava ficando sem os heads modelo 2555 Jubilee. Parte de sua coleção tinha sido destruída por fãs ansiosos em shows e alguns simplesmente desapareceram enquanto estavam na estrada. Para resolver o problema, Jim Marshall sugeriu uma tiragem limitada de 3000 para reabastecer a coleção de Slash e também satisfazer os fãs que queriam recriar o som icônico do guitarrista.


O próprio 2555SL ostentava uma série de ajustes estéticos para integrar o estilo da marca registrada de Slash. Era revestido de preto em vez de prata e tinha um painel frontal dourado escovado em vez do painel espelhado de costume. Além disso, o painel apresentava o logotipo do guitarrista ‘Snakepit’, o título ‘JCM Slash Signature’ e até mesmo a assinatura de Slash. Para completar o pacote, havia uma capa de" pele de cobra" e um certificado de autenticidade do amp.


ZAKK WYLDE - JCM800 2203ZW



“É UMA HONRA EXTREMA TER MEU NOME NO MESMO AMP DE JIM MARSHALL. EU ESTOU USANDO UM JCM800 DESDE ANTES DE COMEÇAR COM OZZY. ESPERO QUE O 2203ZW CHUTE A SUA BUNDA TANTO QUANTO À MINHA. ”


Zakk Wylde, 2002


O som da guitarra de Zakk Wylde é imediatamente reconhecível devido ao fato de ele tocar um JCM800 2203 desde o primeiro dia. O que faz o 2203 original de Zakk se destacar da multidão, no entanto, é que em vez de apresentar válvulas EL34 como as versões vendidas no Reino Unido, ele estava equipado com 6550s, o que significa que poderia lidar com ainda mais potência. Quando Jim decidiu que Zack seria o segundo guitarrista a ter seu próprio modelo exclusivo, essas válvulas tiveram que ficar.


Além disso, o 2203ZW apresentava um loop FX true-bypass, além de uma série de ajustes cosméticos. Desde o design bullseye e o logotipo da Black Label Society no painel frontal até o debrum dourado, a alça antiquada e a fonte exclusiva , tudo tinha um estilo único. Não é novidade que todos os 600 exemplares deles voaram das prateleiras em questão de horas.



James Marshall (Jim Marshall) conheceu James Marshall (Jimi Hendrix) em 1966, e Jim Marshall descreveu Hendrix como "meu maior embaixador, sem dúvida alguma", então era inevitável que em algum momento Marshall produzisse um amplificador exclusivo em homenagem a Jimi .


Em 2006 isso finalmente aconteceu, e com 40 anos de uma relação histórica em mãos, fazia sentido usar um amplificador que também tinha 40 anos e do qual Jimi era sinônimo.

Para o Super 100JH, os engenheiros queriam replicar a configuração que tornou o som de Hendrix tão reconhecível na década de 1960. Ao inspecionar os cabeçotes que Jimi originalmente usou, ficou claro que eles eram muito semelhantes aos modelos originais, indo tão longe para ainda alojar as válvulas KT66 e os transformadores Drake originais. Os únicos ajustes foram modificações no circuito para permitir um pouco mais de agudos e graves.


Os 600 modelos de assinatura foram copiados exatamente e apresentavam fiação manual incrivelmente precisa. De frente, eles se pareciam com os Super 100 originais, mas no reverso tinham o logotipo de Jimi Hendrix mais sua assinatura. Além dos heads, a Marshall também criou os gabinetes de alto-falante angulares 1982AJH e retos 1982BJH que abrigavam o Celestion G12C 25W e eram cada um 7 polegadas mais alto do que uma gabinete padrão de 1982. Isso completou a recriação precisa dos stacks originais que Jimi usava.


versão traduzida de https://marshall.com/live-for-music/history/signature-stories-part-1

tradutor :Oswaldo Marques

instagram: @oswaldoguitar