Search

Primeira plataforma de NFT do Brasil, Phonogram.me chega para revolucionar o cenário da música


Assim como uma bolsa de valores, startup convida público a investir no seu artista favorito e ainda a adquirir um fonograma; serviço inédito apresentado pelo músico André Abujamra descentraliza o mercado fonográfico, conectando músicos diretamente com colecionadores e investidores


Começa a operar Phonogram.me, a primeira plataforma de NFT (contrato virtual que valida uma produção original) do Brasil, serviço inédito que convida o público a investir em seu artista favorito, assim como ocorre em uma bolsa de valores. A startup permite que qualquer pessoa adquira um fonograma e receba os royalties quando ele é executado, por exemplo, rádio,no streamming, em um evento e até mesmo em um programa de televisão. A plataforma ainda conecta músicos, colecionadores e investidores, por meio de um catálogo poderoso e aprofundado das mais variadas vertentes musicais. O Phonogram.me é o único do mercado que permite ao usuário escolher como quer receber a sua cota, seja em criptomoedas ou em reais. Trazendo assim, versatilidade e se jadaptando aos interesses individuais de cada cliente. O lançamento do novo serviço é apresentado pelo músico André Abujamra (leia mais abaixo). Veja o vídeo: http://vimeo.com/525418952


A novidade apresentada pela Phonogram.me no Brasil acompanha o mercado internacional que tem voltado sua atenção ao NFT, selo que garante autenticidade digital e está em alta no mercado das artes, ganhando aderência pelo mundo.


O serviço é o primeiro stockmarket musical da América Latina nesta categoria e foi criado pelos sócios Lucas Mayer e a designer Janara Lopes. Além deles, estão associados ao projeto o publicitário e diretor de criação Felipe Cury, o advogado especialista em direito autoral, Filipe Tavares e Guido Malato, dono da Gmalato, empresa brasileira especializada em blockchain.


"Somos pioneiros em trazer esse formato de comercialização de fonograma do Brasil e ficamos muito felizes de participar deste marco de uma nova indústria que se inicia no país", explica Janara Lopes.


Lucas Mayer que é produtor musical explica: "O Phonogram.me vem para valorizar o âmbito da música gerando monetização a cada player, compartilhamento e reprodução. Por meio desse serviço será possível adquirir os direitos de um fonograma ou comprar parte dele e de vários outros. Além disso, o senso de comunidade dentro da plataforma é muito grande, visto que além de um gerador de renda, é possível tornar-se uma gravadora ou até investir na carreira de um artista".


Embaixador

Para estrear o projeto, os sócios convidaram o multi artista André Abujamra, para ser o embaixador da Phonogram.me. "É uma plataforma onde artistas, produtores fonográficos, editores, etc, podem vender não apenas discos com certificado NFT. Eles podem literalmente leiloar os copyrights da música. Isso mesmo, os direitos sobre o fonograma. É a democratização da indústria fonográfica", avalia.


O músico compôs trilhas sonoras para cerca de 70 filmes brasileiros, dentre eles os premiados: Carandiru, Bicho de Sete Cabeças, Castelo Ratimbum e 2 Coelhos. O artista conheceu recentemente o cripto artista Uno de Oliveira, que o convidou para sonorizar uma arte digital. O produto foi vendido num leilão de um marketplace especializado nesse tipo de arte.


Conheça mais em http://phonogram.me/