Search

Seis mitos sobre o equipamento de Eddie Van Halen




Os fãs de Eddie Van Halen vivem debatendo e dissecando cada detalhe do equipamento do grande ícone para descobrir os segredos de seu estilo inimitável. Mas esse debate muitas vezes gera desinformação, e tal é a internet, essas imprecisões podem logo virar verdade aceita se não tivermos cuidado. EVH também não gostava de ser copiado, por isso costumava dizer e fazer coisas para despistar as pessoas. Como tal, os próprios comentários enganosos de Eddie, que muitas vezes eram proferidos por meio de uma névoa de bebida e drogas para complicar ainda mais as coisas, encobriram esses mitos e permitiram que a especulação corresse solta.


Ele pintou a guitarra Bumblebee

Ele não pintou a guitarra 5150 ou a guitarra ‘Bumblebee’ vista na capa do Van Halen II. Embora ele tenha afirmado em entrevistas que construiu e pintou o Bumblebee antes da sessão de fotos para VHII, agora sabemos que isso não é verdade. A guitarra foi construída, pintada e entregue a Eddie por Wayne Charvel e sua equipe no outono de 1978.


Os captadores do Bee foram trocadas várias vezes, assim como braço. Em um ponto, é muito provável que o Bee tivesse braço original e o PAF do Frankenstrat original. Na época de sua aposentadoria definitiva, o Bee ostentava um DiMarzio Super Distortion branco. Mais tarde, Eddie teve um desentendimento com Charvel sobre a produção de cópias não licenciadas da guitarra.




Os amplificadores de Eddie Van Halen eram "de linha"

Alguns alegaram que o amplificador principal de Eddie para os seis primeiros discos do Van Halen - um Marshall Super Lead de 100 watts de 1967/68 era de linha. Eddie afirmou em entrevistas que teve seus amplificadores modificados por Jose Arredondo. Mais tarde, Eddie diria que só disse isso para dar negócios ao amigo José e que o amplificador era de linha.


Trouxemos esse boato para Kevin Dugan, que trabalhou para o Van Halen por 30 anos, principalmente como técnico de baixo de Michael Anthony. Ele disse que havia deixado pessoalmente os amplificadores de Eddie na loja de Jose em várias ocasiões e que os amplificadores foram modificados por Jose.


Existem também outros fatores que dão credibilidade à teoria de que o amplificador foi modificado. Quando David Lee Roth saiu da banda e começou a trabalhar solo, ele contratou Steve Vai, que foi até Jose e fez com que ele modificasse seu amplificador. Isso supostamente resultou em uma desavença entre Jose e Eddie. Os amplificadores modificados de Vai foram posteriormente vendidos para John Sykes. O técnico de Eddie, Rudy Leiren, confirmou em uma edição de 1985 da Guitar World que o amplificador havia sido modificado, mas não divulgou que mod específico foi feito.


Existem cerca de cinco variações de mod que Jose costuma usar. Ele costumava adicionar um estágio de ganho extra no início do circuito; outro mod era adicionar um volume mestre. No amplificador de Eddie, de acordo com fontes, Jose adicionou um Fat Cap e um circuito de feedback negativo. O amplificador também tinha um pot médio de 50k. Normalmente são 25k, mas Marshall às vezes usava pot diferentes na fábrica naquela época, então isso pode não ter sido um mod, mas um erro de fábrica.



Ele usou um Variac para aumentar a tensão

É verdade que Eddie Van Halen usou uma unidade Ohmite Variac em conjunto com seu amplificador e que era um componente-chave de seu som icônico. Mas o Variac, no caso de Eddie, foi usado para restringir a tensão que flui para o amplificador a cerca de 88-90 volts. Muitos amplificadores foram explodidos por aqueles que acreditavam que Eddie costumava usar o Variac para aumentar a tensão que entrava no amplificador.


Aqui está outra coisa a considerar: amps Marshall vintage foram projetados para funcionar a 110 V, mas em 1984, os EUA mudaram a tensão padrão de 110 V para 120 V. Portanto, se você conectar um Marshall vintage em uma tomada americana atual, poderá danificar o amplificador ou, pelo menos, queimá-lo mais rápido.


Ele ferveu cordas novas para "pré-esticá-las".

Muitos de nós conheceremos guitarristas que compram um conjunto de cordas novo, trazem para casa e fervem antes de colocá-las no violão. Eles afirmam que ajuda a “pré-esticar” as cordas e elas ficarão afinadas por mais tempo. Eles costumam alegar que fazem isso porque foi isso que Eddie Van Halen fez.


Embora seja verdade que o técnico de Eddie Van Halen na época, Rudy Leiren, carregava uma chapa quente e fervia as cordas de Eddie, isso foi feito principalmente para dar mais vida a um antigo conjunto de cordas. Isso foi antes de o Van Halen conseguir contratos de endorser e cordas grátis, então foi feito como uma forma de economizar dinheiro. Assim que ele conseguiu comprar novas cordas após cada show, ele não precisou mais fervê-las!




O sistema Floyd Rose era essencial para suas dive bombs

Muitas vezes, quando alguém quer um Floyd Rose instalado em guitarras , eles dizem que é porque querem ser capazes de fazer aquelas, "dive bombs de Eddie Van Halen", mas a verdade é que EVH aperfeiçoou as dive bombs bem antes de ter uma Floyd Rose.


Um dos solos mais icônicos de todos os tempos, Eruption foi gravado enquanto a Frankenstrat ainda tinha um vibrato no estilo Fender padrão (de uma Stratocaster de 1958). Eddie não começou a usar um Floyd Rose até 1980. Isso apenas torna o trabalho de guitarra nos primeiros álbuns do Van Halen ainda mais impressionante!


A moeda em seu Frankenstrat foi usada para drop tunes

Um mito popular na internet era que o quarto de Dollar dos EUA de 1971 parafusado no corpo do Frankenstrat perto da ponte foi usado para ativar uma versão inicial do sistema D-Tuna que Eddie usou em suas guitarras posteriores, para soltar a corda superior de E ♭ para D ♭. Claro que isso não é verdade.


O quarto de Dollar foi usado para a primeira versão do Floyd Rose para mantê-lo nivelado com o corpo. Alguns também afirmam que a moeda foi removida e colocada de volta na guitarra, mas isso também não é verdade.


A moeda não se moveu. Em vez disso, Tom Anderson mudou a ponte em 1985 porque Eddie colocou as peças do pólo no lugar errado, tornando a entonação muito difícil.


Versão traduzida de https://guitar.com/features/opinion-analysis/eddie-van-halen-guitar-gear-myths/?utm_source=hootsuite&utm_medium=&utm_term=&utm_content=&utm_campaign=


tradutor: Oswaldo Marques

instagram : @oswaldoguitar


1 comment